Santo Agostinho

A comunidade, realização do mistério da Igreja, é como um sacramento pelo qual Cristo se faz presente, se revela e se comunica na concórdia e na unanimidade (Cf. Em. in os. 132, 2,9)

Para ver o Dialogando clique na revista

 

Dizimistas Aniversariantes do mês de Março:

Ana Maria Kimaid

Josana Teresa Arraes Nunes

Josineide Maria de Oliveira Freire

Maria do Carmo de Jesus Carvalho

Maria Edvania Irineu

Maria José Baltar Jorge Moreira

Maria José Nosetti

Maria Regina Blaker Piler

Maria Velma Doria Vieira

Matilde Tedesco Dardengo

Sebastião Vieira

Zuleide de Souza Lima


Início A Comunidade Espiritualidade
A Nossa Espiritualidade PDF Print Email
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 
A Comunidade - Espiritualidade

1. Espiritualidade Agostiniana

A espiritualidade da Ordem é eminentemente agostiniana, pois a recoleção é um movimento dentro da Ordem de Santo Agostinho; é um brote do tronco agostiniano. Os documentos são e continuaram sendo a Regra de Santo Agostinho e a Forma de Viver.

 

Dois são os elementos essenciais da Ordem: o agostiniano e o recoleto. O primeiro elemento nos faz descendentes, herdeiros e continuadores de Agostinho de Hipona; o segundo nos compromete a viver uma vida de oração, recolhimento comunitário e apostolado.

 

Um agostiniano deve procurar cultivar em si os aspectos que alimentaram a vida espiritual do Bispo de Hipona:

1. Elemento Cristológico: Cristo era para Agostinho o centro de sua vida. Quando leu o Hortensio se desilusionou porque não encontro nele o nome de Cristo. Quando aparecem os maniqueus se adere a eles porque prometem ajudá-lo a buscar a verdade.

2. Elemento eclesial: Agostinho sempre esteve ao serviço da Igreja; não quis ser sacerdote mas aceitou porque os fieis lhe pediram; tampouco desejava o episcopado e aceitou por obediência. Desejava viver unicamente uma vida de comunidade com seus irmãos, porem, dedicou-se primeiramente ao cuidado de sua diocese de Hipona.

3. Elemento da caridade: no entendimento e vivencia dele como virtude que modera todos os exercícios de ação e contemplação. Daí a insistência do santo em ter uma só alma e um só coração dirigidos para Deus.

4. Elemento comunitário: Agostinho esta inspirado para uma vida em comum. Ser comunidade é algo essencial para o agostiniano, por tanto, viver em comunidade deve ser sua principal aspiração.

 

 

2. Espiritualidade recoleta

A recoleção é um processo ativo e dinâmico através do qual o homem ferido pelo pecado e movido pela graça, entra dentro de si onde encontra a Deus esperando-o e, iluminado por Cristo, mestre interior, se transcende a si mesmo, se renova segundo a imagem do homem novo que é Cristo e se pacifica na contemplação da Verdade.

 

O especial da vocação agostiniana recoleta é uma continua conversão a Cristo. Só com ajuda de Cristo, mediante uma purificação pela humildade, o homem pode entrar dentro de si mesmo onde encontrará os valores eternos, reencontra Cristo e reconhece aos irmãos. Esta interiorização é o principio de toda piedade. Esta é a recoleção, recolhimento, da forma de viver, caminho que leva diretamente à contemplação, à comunidade e ao apostolado.

 

A Recoleção nasce sob o impulso de alguns religiosos a uma maior perfeição de vida: Entre as diversas famílias religiosas encontra-se a Ordem dos Agostinianos Recoletos.

No século XVI, alguns religiosos agostinianos da Província de Castela, impulsionados por um especial carisma coletivo, desejariam viver, com fervor renovado e com novas normas, a forma de vida consagrada que Santo Agostinho fundou na Igreja, iluminou com sua doutrina e ordenou na sua santa Regra.

 

Os Padres Vogais do Capítulo de Toledo (1588), conscientes desta inspiração divina e não querendo opor-se ao Espírito Santo, determinaram que se escolhessem ou fundassem algumas casas nas quais fosse observada a nova forma de vida, segundo as normas que o definitório provincial desse para esta Reforma “que a piedade do Senhor suscitava, enviando seu Espírito”.

 

3. Consagração dos irmãos

O chamamento e a consagração comprometem o religioso a uma doação total a Deus, a uma imitação e a um seguimento mais livre e mais radical de Cristo, vivendo mais para ele e para seu Corpo, que é a Igreja.

Os religiosos da Ordem, em comunhão de caridade com os irmãos, caminham para a consagração perfeita, que será a comunhão com o Pai e com o Filho Jesus Cristo.

 

4. Comunidade orante

A oração ajuda os religiosos a descobrir a presença misteriosa de Deus no coração dos homens, para amá-los como irmãos. O Espírito de Jesus faz perceber, por meio da oração, as manifestações do amor de Deus na trama dos acontecimentos; desta forma, conseguir-se-á a síntese necessária entre orarão e vida.

 

A celebração da Eucaristia é o ato principal de cada dia, no qual a comunidade dos irmãos encontra-se reunida diante do altar de Cristo e anuncia a morte e ressurreição do Senhor.

 

Em todas as nossas casas celebrar-se-á digna e diariamente em comum a Liturgia das Horas. Em todas as casas haverá em comum meia hora de oração mental. A outra meia hora será feita no tempo e na forma que o Ordo Domesticus indicar.

 

Todas as comunidades e cada religioso amem filialmente e procurem imitar a Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, em cuja proteção se apóia a recoleção agostiniana.

 

Depois da Liturgia das Horas, deve ser considerado como uma das mais eficazes orações o terço, que será rezado diariamente, assim como o Angelus. Nos sábados e festas litúrgicas da Santíssima Virgem e na solenidade de São José cantem-se em comum a “Salve Rainha” e a antífona “Joseph”.

 

A devoção e o culto a São José, especial protetor da Ordem, constitua também parte da espiritualidade agostiniano-recoleta. Também sejam dadas particulares demonstrações de piedade filial a nosso Pai Santo Agostinho e medite-se o conteúdo de sua Regra e de sua doutrina espiritual e religiosa.

 

5. Comunidade penitente

A virtude da penitência exercita-se principalmente no cumprimento fiel e constante do dever, na aceitação das dificuldades que dimanam do trabalho e do contato com os homens e finalmente suportando com paciência e amor as vicissitudes desta vida transitória, da enfermidade e da morte.

 

Os irmãos façam todos os dias seu exame de consciência e aproximem-se freqüentemente do sacramento da Penitencial.

 

Ouvindo a Jesus Cristo que convida a negação de si mesmo, a tomar a cruz e a segui-lo, os irmãos, além de cumprir as penitências impostas pela lei eclesiástica, pratiquem outros atos de mortificação, especialmente nas sextas-feiras do ano, quartas-feiras da quaresma e no sábado santo.

 

6. Os irmãos doentes

São o tesouro da comunidade, pois, pela oblação de si mesmos, dilatam, com misteriosa fecundidade, as obras de apostolado. Os Superiores atendam com toda caridade, de acordo com as necessidades de cada um, os doentes e anciãos, dando-lhes conforto e coragem, “com a certeza de que servem o próprio Deus”.

Tenham todo o cuidado para que não lhes faltem os sacramentos da Penitência e Eucaristia.

 

7. Os irmãos defuntos

Quando morrer um irmão, professo ou noviço, a comunidade a que pertence celebre Missa exequial e uma Missa no primeiro aniversário de sua morte. Todos os sacerdotes da Ordem ofereçam uma Missa por ocasião da morte de cada religioso.

Todos os anos celebrem-se em todas as casas da Ordem três aniversários gerais de defuntos: primeiro, pelos familiares e parentes dos religiosos; segundo, pelos benfeitores defuntos. Terceiro, por todos os irmãos e irmãs defuntos da Ordem.

 

 

 

 

 


 

27/03- 2ª FEIRA

MISSA EM HONRA A SANTA MÔNICA

17h30min

 

28/03 - 3ª FEIRA

OFICINA DE ORAÇÃO E VIDA

14h30min, maiores informações na secretaria paroquial

ESCOLA DE FÉ E CATEQUESE LUMEN CRHISTI

19h

MISSA EM HONRA A SANTO AGOSTINHO

17h30min

 

 

30/03 - 5ª FEIRA

AOS TEUS PÉS SENHOR

Adoração ao Santíssimo Sacramento - 19h30min

 

31/03 -6ª FEIRA

VIA -SACRA

16h30min

 

02/04 - DOMINGO

DOMINGO DO PÃO

Lembremo-nos de trazer os mantimentos para os mais pobres de nossa comunidade.

 

Catequese Paroquial

Inscrições e Reuniões: quartas -feiras às 18h30min e Domingos às 8h30min no Pátio do Colégio Santo Agostinho

ou após da missa das 10h.

 

  • Novo horário das missas dominicais:
  • 8, 10, 11:30, 17,18:30 e 20 hs.

Foi suprimida as missas das 7 e 8:30 e acrescentada a missa das 8h.

 

CURSOS DE NOIVOS 2016

DATAS:

12 de março

04 de junho

INSCRIÇÕES: http://cursodenoivospsm.com.br

 

CURSO DE BATISMO

Encontro de preparação para o batismo

Realizado na 2ª e 4ª quinta- feira do mês na capela da paroquia às 20h

Inncrições gratuitas na secretaria paroquial

PRÓXIMAS DATAS:

06 e 20 de abril