Santo Agostinho

A comunidade, realização do mistério da Igreja, é como um sacramento pelo qual Cristo se faz presente, se revela e se comunica na concórdia e na unanimidade (Cf. Em. in os. 132, 2,9)

Para ver o Dialogando clique na revista

 

Dizimistas Aniversariantes do mês de Março:

Ana Maria Kimaid

Josana Teresa Arraes Nunes

Josineide Maria de Oliveira Freire

Maria do Carmo de Jesus Carvalho

Maria Edvania Irineu

Maria José Baltar Jorge Moreira

Maria José Nosetti

Maria Regina Blaker Piler

Maria Velma Doria Vieira

Matilde Tedesco Dardengo

Sebastião Vieira

Zuleide de Souza Lima


Início
Maio Mariano PDF Print Email

A espiritualidade mariana da Igreja se manifesta na liturgia e na devoção, ambas cheias de amor e de veneração para com a Mãe do Senhor Jesus. A beleza desta espiritualidade se expressa em muitas formas que o catolicismo criou e cultivou em todo tempo de sua vitalidade. Tudo que é feito para Maria, inclusive o destaque dado ao mês de maio para festejá-la, é oferecido também a Jesus, por seu intermédio materno. De fato, louvá-la é sempre honrá-lo.

Nosso culto a Maria provém do Espírito Santo, que é amor divino. Ele nos faz reconhecer tudo que é bom e belo e verdadeiro, segundo Deus Pai em consonância com seu Filho. Habitando em nós, desde o Batismo, faz-nos conhecer a bondade, a beleza e a verdade de Maria em todas as suas perfeições, obra da graça do mesmo Espírito. Do conhecimento, que já é amor, provêm os afetos em louvá-la com veneração, como fez o arcanjo Gabriel ao saudá-la e Isabel, sua prima, ao recebê-la.

Os festejos de maio não se desvinculam do tempo pascal nem se sobrepõem, pois Maria está integrada ao mistério da ressurreição do seu Filho. Ela compreendeu e vivenciou o acontecimento da ressurreição, pela intimidade com o Ressuscitado, e devido ao que ouvia a respeito do túmulo aberto e vazio, e das aparições às mulheres, aos discípulos e apóstolos. Portanto, participou da alegria dos acontecimentos, interior e exteriormente.

Sua tristeza intensa se transformou em alegria transbordante na madrugada do domingo de Páscoa. Semelhante alegria passava e repassava por todos aqueles que viram o Senhor. Divulgara-se como boa notícia de boca em boca: “Vi o Senhor, e ouvi as coisas que ele me disse” (Jo 20,18). Ela viveu este clima jubiloso do tempo pascal, em união com os discípulos e discípulas e os 11 apóstolos.

Embora as Escrituras não digam que Jesus Ressuscitado apareceu a sua Mãe, é possível supor, pois apareceu a vários não nomeados (1Cor 15,5-8). Santo Inácio de Loyola, na quarta semana dos Exercícios Espirituais, põe a primeira contemplação: como Cristo nosso Senhor apareceu a Nossa Senhora, em primeiro lugar. Causa grande ternura na alma meditativa, segundo o método inaciano proposto, contemplá-la. Cria-se e compõe-se a cena com a fantasia subjetiva, porém com a objetividade da fé e do amor. A pessoa que medita pode se pôr na cena como observadora e participante. Soa, para quem medita, que Maria foi merecidamente em sua fé recompensada, ao ser preenchida de júbilo, após as dores da Paixão e ao abandono da morte de Cruz e do sepultamento do seu Filho. Ela ressuscita na alma. Faz a passagem da desolação à consolação, da humilhação à exaltação, com a presença de seu Filho vitorioso. Um dia participaria da glorificação definitiva, assunta aos céus em corpo e alma.

Outra relação de Maria com a Páscoa decorre da assembleia reunida no cenáculo de Jerusalém. Ali, permaneceu junto aos apóstolos e algumas mulheres, reunidos em oração, até o domingo de Pentecostes (At 1,13-14). Cumpria com eles a ordem do Ressuscitado “que não se afastassem de Jerusalém, mas que aguardassem a promessa do Pai” (At 1,4): o Batismo com o Espírito Santo (At 1,5). A Igreja apostólica se reúne e reza com Maria para receber o dom do Espírito Santo, que capacitaria os discípulos à missão, no mundo e no tempo, até a conclusão da história. Ela continua presente na Igreja, também enquanto primeira discípula, empenhada que a obra de seu Filho se expanda, através do nosso apostolado e do nosso testemunho.



 

Dom Edson Homem de Castro

 

 


 

27/03- 2ª FEIRA

MISSA EM HONRA A SANTA MÔNICA

17h30min

 

28/03 - 3ª FEIRA

OFICINA DE ORAÇÃO E VIDA

14h30min, maiores informações na secretaria paroquial

ESCOLA DE FÉ E CATEQUESE LUMEN CRHISTI

19h

MISSA EM HONRA A SANTO AGOSTINHO

17h30min

 

 

30/03 - 5ª FEIRA

AOS TEUS PÉS SENHOR

Adoração ao Santíssimo Sacramento - 19h30min

 

31/03 -6ª FEIRA

VIA -SACRA

16h30min

 

02/04 - DOMINGO

DOMINGO DO PÃO

Lembremo-nos de trazer os mantimentos para os mais pobres de nossa comunidade.

 

Catequese Paroquial

Inscrições e Reuniões: quartas -feiras às 18h30min e Domingos às 8h30min no Pátio do Colégio Santo Agostinho

ou após da missa das 10h.

 

  • Novo horário das missas dominicais:
  • 8, 10, 11:30, 17,18:30 e 20 hs.

Foi suprimida as missas das 7 e 8:30 e acrescentada a missa das 8h.

 

CURSOS DE NOIVOS 2016

DATAS:

12 de março

04 de junho

INSCRIÇÕES: http://cursodenoivospsm.com.br

 

CURSO DE BATISMO

Encontro de preparação para o batismo

Realizado na 2ª e 4ª quinta- feira do mês na capela da paroquia às 20h

Inncrições gratuitas na secretaria paroquial

PRÓXIMAS DATAS:

06 e 20 de abril